CONHEÇA NOSSOS CURSOS

Teoria e prática caminhando juntas.
Aqui a inspiração encontra o técnica

O Ateliê Escola Ivany Rodrigues oferece os melhores cursos com um ambiente que facilita o aprendizado, com equipamentos e materiais modernos, professores com vivências na suas respectivas áreas, e que dominam as mais variadas técnicas de criação em moda. Indicado para quem quer iniciar ou se especializar no mundo da moda.

As aulas são 100% práticas. Nosso sistema de atendimento em sala de aula é individualizado, sendo assim cada aluna(o) segue em ritmo próprio, o que permite iniciação no curso em qualquer época do ano.

Método eficaz exclusivo da escola desenvolvido ao longo de 25 anos de experiencia, focado para o rápido aprendizado do aluno já nas primeiras aulas.

Venha conhecer nossa escola e fique por dentro do que há de melhor para você entrar no mundo da moda!

SIGA-NOS NO INSTAGRAM

O que te impede de seguir seus sonhos? 👗 Vamos começar a semana com essa linda inspiração! 💕

#Repost @vocesa with @make_repost
・・・
Quando criança, Julia Golldenzon, hoje com 38 anos, adorava costurar roupas para suas bonecas. Não à toa, moda sempre foi uma paixão, mas ela achava que não seria possível ter uma profissão na área. “Era uma coisa que eu curtia, mas eu tinha o preconceito de pensar que não dava para seguir a carreira.” Por isso, estudou publicidade.

Trabalhou durante um ano numa agência e passou quatro em uma produtora de vídeos corporativos, mas sempre acompanhando o mundo das passarelas. Em 2002, o amor pela moda falou mais alto e ela largou tudo para fazer parte da equipe da La Stampa.

Na época, conseguiu o telefone de Marcelo Castelão, dono da marca e marido de Kátia Barros, criadora da Farm. Ligou para ele e apresentou seu currículo. Como não tinha nenhuma vaga aberta na Farm, ela foi contratada para cuidar do setor de marketing da La Stampa.

Pouco tempo depois, Julia foi trabalhar com Kátia, passando mais de oito anos na empresa e aproveitando o período para fazer um curso de desenho técnico de moda.
Em 2009, a carioca atendeu ao pedido de uma amiga, que queria que ela criasse seu vestido de casamento. As encomendas de vestidos de noiva personalizados cresceram e, em abril de 2013, Julia abriu seu primeiro ateliê.

No ano passado, mudou o estúdio para um local maior para oferecer roupas às madrinhas — desde então dobrou o faturamento. “Meu arrependimento de ter mudado de área é zero. Eu me sinto realizada e tenho muita dedicação pelo meu trabalho.” Texto | Juliana Américo
Foto | Andre Valentim  #ambientedetrabalho #carreira #finançaspessoais #liderança #mercadodetrabalho #vocesa
O que te impede de seguir seus sonhos? 👗 Vamos começar a semana com essa linda inspiração! 💕 #Repost @vocesa with @make_repost ・・・ Quando criança, Julia Golldenzon, hoje com 38 anos, adorava costurar roupas para suas bonecas. Não à toa, moda sempre foi uma paixão, mas ela achava que não seria possível ter uma profissão na área. “Era uma coisa que eu curtia, mas eu tinha o preconceito de pensar que não dava para seguir a carreira.” Por isso, estudou publicidade. Trabalhou durante um ano numa agência e passou quatro em uma produtora de vídeos corporativos, mas sempre acompanhando o mundo das passarelas. Em 2002, o amor pela moda falou mais alto e ela largou tudo para fazer parte da equipe da La Stampa. Na época, conseguiu o telefone de Marcelo Castelão, dono da marca e marido de Kátia Barros, criadora da Farm. Ligou para ele e apresentou seu currículo. Como não tinha nenhuma vaga aberta na Farm, ela foi contratada para cuidar do setor de marketing da La Stampa. Pouco tempo depois, Julia foi trabalhar com Kátia, passando mais de oito anos na empresa e aproveitando o período para fazer um curso de desenho técnico de moda. Em 2009, a carioca atendeu ao pedido de uma amiga, que queria que ela criasse seu vestido de casamento. As encomendas de vestidos de noiva personalizados cresceram e, em abril de 2013, Julia abriu seu primeiro ateliê. No ano passado, mudou o estúdio para um local maior para oferecer roupas às madrinhas — desde então dobrou o faturamento. “Meu arrependimento de ter mudado de área é zero. Eu me sinto realizada e tenho muita dedicação pelo meu trabalho.” Texto | Juliana Américo Foto | Andre Valentim #ambientedetrabalho #carreira #finançaspessoais #liderança #mercadodetrabalho #vocesa

FALE CONOSCO

NOSSA LOCALIZAÇÃO